SEU FUTURO É HOJE

SEU FUTURO É HOJE
Abra os olhos a cada manhã e reconheça: O futuro chegou! Escreva sua página hoje!

quinta-feira, 7 de junho de 2012

SAIBA MAIS - OS CHAKRAS III - FUNK: NOCIVO?

Nas estatísticas de nosso blog é crescente a leitura dos nossos posts relacionados aos chakras e consequentemente o aumento de pedidos para abordarmos o tema mais vezes, focando principalmente os fatores de equilíbrio e desarmonia.
Desta vez procuraremos demonstrar qual a relação entre eles e a Música.
"O som é uma onda mecânica que propaga-se, apenas em meios materiais, que têm massa e elasticidade, como os sólidos, líquidos ou gasosos. Os sons são usados de várias maneiras, muito especialmente para comunicação através da fala ou, por exemplo, música."
Nossa proposta inicial é contextualizar o momento atual referente ao tipo de música predominante no inconsciente coletivo: O FUNK - e sua influência sobre os chakras. 

Confira o texto do terapeuta Antonio de Alexandre, do Instituto Rharomasy boa leitura!

Chakras : Do Funk ao Caos

Desta vez procuraremos demonstrar qual a relação entre eles e a Música.
Comecemos com uma nota explicando o conceito de SOM (definição conforme mencionado na Wikipédia) e a sua influência sobre os chackras e o corpo: “O som é uma onda mecânica que propaga-se, apenas em meios materiais, que têm massa e elasticidade, como os sólidos, líquidos ou gasosos. Os sons são usados de várias maneiras, muito especialmente para comunicação através da fala ou, por exemplo, música.”
O principal sistema humano de percepção sonora é o aparelho auditivo, no entanto, você já deve ter ouvido falar que pessoas com deficiência auditiva conseguem dançar sentindo o ritmo da música através das vibrações sonoras percebidas pelo corpo todo e sola dos pés. Isso se explica até com a física. O corpo sendo matéria ressoa diante dos sons, assim como a água; então, sendo 70% água, nosso corpo é uma perfeita caixa de ressonância, fazendo o som ressoar em cada célula e sendo percebido pela pele e demais órgãos. 
Os chakras também são estimulados por vibrações sonoras, que durante uma meditação são chamadas de Mantras: emissões vocálicas onde o aparelho fonador vibra em determinada frequência específica para cada um dos chacras. Eles também reagem igualmente a emissões sonoras artificiais, como notas musicais e vibrações sonoras emitidas por instrumentos. Assim, se nosso padrão vibratório energético – percebido pelos chakras- é suscetível às vibrações sonoras, obviamente o padrão do que escutamos nos influencia emocional, sensorial e até fisicamente. 
Nossa proposta inicial é contextualizar o momento atual referente ao tipo de música predominante no inconsciente coletivo: O FUNK Sabemos que no decorrer da história dos tipos de gostos musicais a cada década uma modalidade se destaca mais que as outras e desta vez o Funk é resgatado – e seu reinado vem durando algumas décadas. Conhecida como a música de letras picantes cheias de apelo sexual levando a “galera do Pancadão” à loucura, é um estilo amado e odiado com a mesma paixão.

ORIGEM DO FUNK  
O funk é um estilo musical que nasceu a partir da soul music (música negra norte-americana) no final da década de 1960, desenvolvido por ícones da black music  como James Brown e Maceo e Melvin Parker. Originalmente se caracterizava por ritmo sincopado, com densa linha do baixo, uma seção de metais forte e rítmica, além de uma percussão (batida) marcante e dançante mesclando soul, soul jazz, rock psicodélico e "R & B".
Quando surgiu, o estilo era considerado indecente, pois a palavra “funk” tinha conotações sexuais na língua inglesa. Assim, já nasceu marginalizada, virando referencial de desclassificação social. Como o passar dos anos foi recebendo influências que sucumbiram devido ao apelo comercial que sempre prevalece na formação de opinião pública.
O funk mais difundido no Brasil é o funk carioca. A adaptação para o funk de nosso país surgiu nos anos 80 e com influência de um novo ritmo originário da Flórida, o Miami Bass, que criava músicas erotizadas e batidas mais rápidas. 
Em 1989 houve a explosão dos bailes funk que começaram a atrair multidões, inicialmente nas chamadas Comunidades dos morros e periferias cariocas. Posteriormente espalharam-se pelo país, mantendo a principal concentração nos estados de RJ e SP. 
As letras que originalmente falavam sobre drogas, armas, a vida nas favelas e as injustiças sociais sofridas pela população suburbana, adquiriram com o passar do tempo profundo teor erótico, com letras de conotação sexual e de duplo sentido. 
O advento do download de mp3 pela internet facilitou o acesso maciço, assim como produções independentes e o surgimento de “estrelas” deste segmento de forma instantânea, praticamente viral. Mais uma vez o homem conseguiu se afastar da proposta inicial que é fazer da música o instrumento para a elevação do homem em busca de sua essência.

EFEITOS DO FUNK NOS CHACKRAS
A publicidade e os fabricantes de bebidas alcoólicas possuem a expertise de como estimular suas vendas preconizando o uso da cor vermelha e ritmos específicos – e o funk é o melhor exemplo de como estas vibrações influenciam o chakra raiz, potencializando um comportamento mais irracional e agressivo no uso da sexualidade.
Com este chakra desequilibrado as consequências são desastrosas e muito comprometedoras, tais como:
  • problemas de coluna, 
  • hemorroidas, 
  • instabilidade social e emocional, 
  • uso incorreto da vontade, 
  • sentir-se impotente diante das situações, 
  • insegurança, desespero, 
  • medo e falta de praticidade. 
  • preocupação excessiva com assuntos relacionados à matéria, 
  • ganância, 
  • descontrole dos aspectos instintivos e sexuais - impotência sexua, frigidez ou ninfomania. 
Essa estimulação negativa do chakra básico favorece o aparecimento de um cenário onde prolifera promiscuidade, violência e abuso de drogas – um baile funk!
Se analisados esses aspectos é possível identificar situações cada vez mais crescentes nos dias de hoje. 
Devemos lembrar que os chakras são extremamente sensíveis a cores e sons, pois é desta forma que podemos equilibrar ou estimular o seu funcionamento. Para constatar isso, basta assistir a apresentação de uma coreografia dessas músicas onde se destaca o movimento que coloca em evidência a região onde se localiza este chakra – região pélvica.
Como já mencionamos, nosso corpo físico é em sua maior parte constituído de água, que além de ressoar as vibrações é o veículo da emoçãoCientistas já comprovaram que a água reage à qualidade do som, não apenas ressoando as onda sonoras, mas alterando seu formato e reagindo até a ondas mentais. O som determina a qualidade das moléculas da água e transforma-se em ferramenta muito valiosa para o nosso reencontro com a nossa harmonia de origem.

Grave na sua mente esta regra: "O tipo certo de influência musical e vibracional irá resultar em mente e emoções equilibradas, assim poderemos vivenciar a nossa experiência espiritual/humana de modo muito mais proveitoso em busca da tão necessária qualidade de vida." 

VIBRAÇÕES IDEAIS O grau de importância, no acesso aos tipos mais adequados de sons que devem ser permitidos ao nosso redor, é tão elevado que nos possibilita internamente reencontrar a nossa nascente límpida e divina. 
Ao buscarmos referências que nos direcionam a energias provenientes do amor, verdade, retidão, paz e benevolência, nos permitiremos reestruturar nossas vidas, cultivando felicidade, saúde e beleza interior! 
Podemos então concluir que a exposição massiva à vibração hiper estimulante do Baile Funk é extremamente nociva, tanto pelo excesso de barulho aos ouvidos como pelo excesso de aspectos negativos despertando emoções e comportamentos degenerativos tanto ao indivíduo, quanto à sociedade.
Devemos também deixar claro que não deve recair sobre o Funk toda a culpa pela desestruturação crescente de valores na sociedade atual, mas devemos estar conscientes de que ele é um fator agravante para esta desestruturação, amplificada pelo consumo desmedido deste tipo de música. 

Movimentos que chocaram gerações anteriores sempre existiram, mas tão avassalador como este, não. O difícil é entender como algo que promove tantos malefícios pode ser entendido como cultura, uma vez que foi totalmente desvirtuado de sua origem. 

Mais uma vez a virtude está em se dosar a quantidade de exposição ao que nos cerca e a importância de uma mente consciente para escolher fontes de padrão vibratório positivo.

Buscar o melhor em nós mesmos
Buscar o melhor em nós mesmos:
equilíbrio, verdade, paz!

segunda-feira, 4 de junho de 2012

FINAL DE SEMANA SUSTENTÁVEL

Acompanhe as fotos da participação da Rharomasy no evento Virada Sustentável, que aconteceu dias 2 e 3 de junho.  Continue acompanhando nossas publicações e veja os vídeos de nossos parceiros.


Mirian - massoterapeuta e Antonio - acupunturista
Antonio e Gilberto - tarólogo - pós as palestras do dia 02/06
Gilberto dá uma breve explicação ao cliente sobre o Tarot 
e seu método de leitura e aplicação terapêutica.
Vivência de Pilates no Domingo, com a Dra. Joice.
Daniel serviu de modelo para demonstração de alinhamento postural.
Bem, este evento chegou ao final, mas em Agosto tem mais: também participaremos do evento Yoga Pela Paz. Vamos mantê-los informados a respeito.
Mas até lá... se prepare porque tem muita novidade vindo por aí. Até mais!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...